Imagem capa - Todos somos fotógrafos por Nilda Brandao
Reflexões

Todos somos fotógrafos

Certa vez José Saramago, prêmio Nobel de literatura de 1998, disse:

“Todos somos escritores, só que uns escrevem, outros não.”

Eu penso assim com relação à fotografia também.

Acho que nós, seremos humanos, temos esse fascínio por eternizar coisas, congelar momentos. Vide as gravuras dos homens das cavernas. Nós queremos isso, queremos deixar nosso legado, nossa marca, nossas lembranças. Talvez seja por isso que a fotografia se popularizou.

Desde aquela primeira chapa de estanho, 190 anos atrás, até as selfies em modernos aparelhos de celular, já passou água, ou melhor, pixel, na historia da fotografia e ela nunca esteve tão viva, atuante e moderna.

Qualquer um, com uma câmera na mão, pode fotografar, isso é fato. Fotógrafo? É todo aquele que faz uma fotografia.

“Ah” - Você vai dizer: - “Mas fazer uma foto não faz da pessoa um bom fotógrafo”.

Sim, tem razão. Alguns vão fazer fotografias que agradarão exclusivamente a ele mesmo, ou sua família. Alguns irão fazer fotos incríveis que falarão ao coração de muitos. Sim, verdade. Mas uma fotografia que fala ao coração de muitos é mais importante que uma fotografia que fala ao coração de um só?

Sim, tem aqueles que estudaram, que se dedicam exclusivamente a fotografar, que aprendem técnicas, que sabem jargões, que entendem o desenho da luz, que compreendem profundamente os fundamentos fotográficos.

Mas também existem aqueles que fotografam por instinto, que transmitem sentimentos e emoções na imagem sem nunca ter estudado. Os que estudaram mais têm mais valor que aquele que fotografam por instinto?

Sei que soa estranho que uma fotógrafa, que basicamente vive de fazer fotos e vende-las, esteja falando que qualquer pessoa é um fotógrafo. Eu deveria estar aqui exaltando as qualidades dos fotógrafos profissionais, que além de saber os fundamentos fotográficos, também entendem de edição e fazem fotografias únicas em ângulos que ninguém pensara e ainda por cima emocionam com suas imagens.

Mas acredito que seja bem como disse Saramago: Escritores, ou fotógrafos, todos somos, alguns só irão realmente escrever – ou fotografar. Alguns farão exposição de suas fotografias, ou ganharão prêmios Nobel com seus livros; outros apenas agradarão um círculo íntimo de pessoas. Alguns ganharão dinheiro, outros apenas se divertirão.

Lembrei daquele desenho Ratatouille , que o grande chef Gusteau tinha o lema “todos podem cozinhar” que deixava os críticos de culinária doentes, porque a arte da cozinha só pode estar em poder de um pequeno e seleto grupo de deuses da culinária. No fim o crítico mais renomado se curva diante do irrefutável – até um ratinho pode cozinhar.

Existem aqueles que, com muito aprendizado e dedicação, conseguirão um lugar de destaque em qualquer atividade que se disponha a fazer.

E existem aqueles que, sem estudo nem nada, simplesmente por fazer, farão o inimaginável, se destacarão na multidão e vivarão deuses.

Todos somos fotógrafos. Só que uns fazem fotos, outros não.

Quer ser fotografo? Fotografe!

Olhe o mundo como se fosse uma moldura de fotografia. Extraia de tudo que você olhar uma fotografia.

Faça com que as pessoas vejam o que você vê quando olha para aquele objeto, aquela pessoa, aquela paisagem.

E faça isso todos os dias e tantas vezes quanto possível. Faça isso até que suas fotografias não precisem mais de legenda.

E aí, quem sabe, aquela cadeira de deus que está vaga, não será sua.